segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Rastro de Luz promove uma caminhada coletiva na passagem de ano com direito a celebração, ceia e ritual de queimada

Confraternização na passagem de ano
Celebração na Ermida de Nossa Senhora
A Operadora de Turismo Rastro de Luz que atua ao longo da rota de peregrinação do Caminho da Luz, o Caminho do Brasil promoveu no período de 27 de dezembro de 2015 a 4 de janeiro de 2016 a oitava caminhada coletiva do ano de 2015.
Peregrinos e convidados passando na porta
do Templo do Gran Priorato Templário
A caminhada contou com peregrinos de diversos estados do Brasil e teve a passagem de ano realizada em Carangola onde os peregrinos puderam participar de uma Celebração, na Ermida da Virgem Maria, anexa ao Templo do Gran Priorato Templário do Brasil - Cavalaria Espiritual São João Batista, ambos construídos em pedra em estilo medieval.
Fachada da Ermida de Nossa Senhora
Após a Celebração os peregrinos cearam na Chácara Luz da Manhã, onde mantiveram contato com o idealizador do Caminho da Luz, seus familiares e vários membros da Ordem dos Cavaleiros Templários.
Estourando as champanhes
Também foi realizado a exemplo do que acontece no milenar Caminho de Santiago de Compostela um Ritual de Queimada, onde cada um pode escrever em uma folha de papel o que não queria carregar para o ano de 2016 e colocar no fogo “sagrado” para ser queimado.
Durante o encontro Albino Neves, presidente da ABRALUZ recitou para os presentes o Poema dos Caminhantes, parte de seu livro “O Andarilho – A viagem rumo ao infinito”, o qual dividimos com todos: 

Poema do Caminhante
Autor: Albino Neves 
Extraído do livro “O Andarilho -  A viagem rumo ao infinito” – Editora Mandala - 
Caminho
Na mansidão da noite
em busca da imensidão do dia.
Na noite o silêncio, onde fal a voz da consciência,
no dia, a voz do acaso.
À noite caminho,
no dia eu ando,
em ambos, eu busco
o calor do corpo,
o frescor da alma,
que juntos completam a fonte da vida.
Nela bebo,
sacio a sede de ser,
de saber,
de ter, de viver.
E vivo!
No campo das flores,
no rodamoinho das ondas,
mas flutuo no ar,
como se asas tivesse
e pudesse voar.
E vôo!
Um vôo sereno
que os tufões não abalam,
calam,
emudecem,
mas persisto, e me deixo levar,
e, no caminho, aprendo,
sorvo o momento,
na certeza de que não é o primeiro
nem o último, mas o único.
Como único, reverencio-o.
Observo o seu passar,
com ele vivo.
Muitas vezes sobrevivo!
Mas vivo.
Deixando no ar o perfume da vida,
no rastro do tempo, na chuva ou no sol.
Caminho com o tempo
e o tempo se vai ou fica.
Não sei se ando ou voo,
mas sei que persisto na busca de ser
um ser.
Se sou eu não sei.
Só sei que guardo a lembrança da vida e vivo.
Que amo com a plenitude da alma e aí me completo.
Divido e sou dividido.
Busco e me acho,
no canto ou no centro, no espaço e no tempo.
Nos trilhos e atalhos, conheço o caminho
 e nele observo a vida passar.
E com ela caminho,
sem medo de errar,
pois, na surpresa do ato,
está o crescer.
E crescendo estou
na busca de ser um ser.
Se sou, eu não sei.
Só sei que caminho por terras distantes,
às vezes eu ando,
em outras, eu voo.
De uma coisa estou certo:
Eu sempre existi.
Se existo, estou vivo!
Mesmo que o corpo descanse,
na terra fria ou quente,
persisto na caminhada, na luz que irradio,
ela me guia
na rota da vida
que está além de ser um ser.
Quem sou?
Eu não sei!
Mas sei que busco a forma de ser
a integração com o Universo, e nele me diluo.
Quem sabe um dia eu me encontre na verdade comigo,
e daí me descubra.

Talvez.

Flash dos eventos:

Celebração




Confraternização





Ritual da Queimada






ABRALUZ e Ecobrigada realizam limpeza no Caminho da Luz, o Caminho do Brasil

O capim estava tomando conta da trilha


Aparando as arestas
No dia 30 de dezembro a ABRALUZ, entidade de Utilidade Pública Estadual Lei nº 16.580/2006 e Municipal Lei nº3.610/2006 e a Ecobrigada, ONG de Combate a incêndios e preservação ambiental realizaram uma limpeza no trecho que liga parada General a Ernestina, o qual inclui os municípios de Carangola, Faria Lemos e Caiana.

Homens com roçadeira e facões retiraram espinhos da trilha e o alto capim que já cobria o trecho prejudicando a passagem de caminhantes, ciclistas e cavaleiros que percorrem anualmente a rota de peregrinação do Caminho da Luz, o Caminho do Brasil, tombado como Patrimônio Cultural do Estado de Minas Gerais através da Lei nº 18.086/2009. Também foram retiradas algumas pedras que se encontravam no meio da trilha.

Retirando pedras da trilha

Na hora do lanche


segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Patrimônio cultural e histórico corre risco de desabamento

Trecho que desabou recentemente 
Com a extinção da linha férrea na região da Zona da Mata Leste de Minas Gerais, seu patrimônio ficou exposto às intempéries do tempo e com raras exceções vem sendo preservado.
O patrimônio histórico e também cultural que liga a antiga Parada General à Ernestina, além das avarias causadas pelo tempo, vem sofrendo outras que colocam em risco a sua extinção.
Após a instalação em área pertencente ao município de Faria Lemos de uma pedreira para exploração de granito, a qual utiliza grandes quantidades de explosivos para a retirada dos blocos, extensa parte de terra deslocou-se arrastando consigo uma parte da antiga rota do trem.

Na entrada de Parada General o patrimônio
já está quase todo destruído
A passagem de veículos motorizados pelo local que deveria estar sendo preservado compromete a estrutura de antigos prédios pertencentes à Rede Ferroviária e que correm o risco de desabarem se medidas enérgicas não forem tomadas.
Recentemente o prédio onde funcionava a oficina/almoxarifado da ferrovia teve parte de sua parede destruída. 

É preciso preservar o que ainda resta
do patrimônio que está quase todo destruído
Além daquele prédio outros prédios também estão com rachaduras e podem desabar caso veículos motorizados continuem passando pelo local o que coloca em risco a vida dos que por ali transitam a pé ou de bike.

É necessário que as autoridades competentes vistoriem o local afim de proibir da passagem de veículos motorizados por aquele trecho com o objetivo de preservar o que ainda resta do patrimônio histórico e cultural ali existente. 

A situação é preocupante e medidas enérgicas precisam ser tomadas.





terça-feira, 11 de agosto de 2015

CAMINHO DA LUZ: LUMINESCÊNCIAS DA VIDA


Não sei ao certo quando o Caminho da Luz se acendeu na minha vida, mas desde que o descobri, comecei a pesquisar sobre e o interesse só aumentou.O Caminho da Luz, inaugurado em 2001, é uma senda de peregrinação religiosa, reflexiva, ecológica, turística e esportiva que, em meio às montanhas de Minas, passa por Tombos, Catuné, Água Santa, Pedra Dourada, Faria Lemos, Carangola, Caiana, Espera Feliz, Quicé, Pedra Menina, Galileia, Bela Vista e Alto Caparaó, e termina no Pico da Bandeira, 3º ponto mais alto do país, considerada a montanha sagrada do Brasil, desde a época em que os índios percorriam essa rota. O trajeto percorrido depois por tropeiros, religiosos, pesquisadores e aventureiros em busca de ouro e terras férteis, guarda lendas e histórias que merecem ser conservadas, além de muitos encantos que se apresentam a cada quilômetro, presenteando quem caminha com momentos únicos.
São aproximadamente 200 km de um cenário perfeito para viver o desapego, a solidariedade e a superação. Incrível como em 7 dias, essa distância é capaz de ensinar tantas coisas através da reflexão ou da convivência com pessoas de todos os lugares.
Fui para a Caminhada Coletiva Oficial, que começa sempre no 3º domingo de Julho, e percorri, junto com cerca de 100 pessoas, um caminho que se tornou luz, ar, cheiro, brisa, sabor, significado, energia e amor.
Não é a toa que é considerado Patrimônio Cultural de Minas Gerais.

Portal de Minas destaca o Caminho da Luz, o Caminho do Brasil



Uma travessia fascinante

O caminho tem início no Município de Tombos, na base da Cachoeira que dá nome à cidade, sendo a 5ª maior em volume d’água do Brasil e que possui a segunda hidrelétrica implantada no Brasil ainda em funcionamento. Termina no Pico da Bandeira, o terceiro maior do Brasil e o primeiro mais alto acessível. Durante todo o percurso do Caminho da Luz, fragmentos de mica e cristais emergem do solo, proporcionando-lhe um brilho especial. São 195 quilômetros percorridos pelas montanhas de Minas, passando por fazendas centenárias, matas, cachoeiras, santuários e antigas estações ferroviárias. A rota é carregada de um magnetismo que fascina a todos, atirando os caminhantes, ciclistas e cavaleiros numa viagem que ultrapassa a barreira do tempo.



quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Vídeos sobre a Caminhada Coletiva de 2015


Muitos fotografaram e filmaram a Coletiva Oficial do Caminho da Luz -2015 realizada no período de 19 a 26 de julho.
O amigo João Luiz Germano de Morares e a esposa Iranete Fátima da Sá fizeram questão de documentar a peregrinação e dividir com todos os participantes e com você que tem a intenção de participar deste evento que ao longo dos anos tem reunido milhares de peregrinos do Brasil e de outros países do mundo.
Vejam os vídeos produzidos pelo João.
Cachoeira de Tombos – A partida

Tombos – Catuné

Catuné – Pedra Dourada

Pedra Dourada – Faria Lemos

Faria Lemos – Carangola

Carangola – Espera Feliz

Espera Feliz – Alto Caparaó

Alto Caparaó – Pico da Bandeira

quarta-feira, 29 de julho de 2015

XVI Caminhada Coletiva do Caminho da Luz, o Caminho do Brasil foi marcada pela fraternidade e solidariedade

Peregrinos da luz oram na base da cachoeira de Tombos, início do Caminho da Luz, o Caminho do Brasil

Peregrinos da luz ouvem palavras de Albino
Neves na beira da cachoeira do Grilo
Realizada no período de 19 a 26 de julho de 2015, a XVI Caminhada Coletiva do Caminho da Luz, o Caminho do Brasil reuniu cerca de cem peregrinos dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso, Santa Catarina, Paraná, Pernambuco, Goiás, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul e de Brasília – Distrito Federal.
A Coletiva Oficial é promovida pela Associação Brasileira dos Amigos do Caminho da Luz – ABRALUZ entidade de Utilidade Pública reconhecida pela Lei Estadual Nº 16.580/2006.

Peregrinos da luz em direção à Catuné
A peregrinação tem início, com uma Missa Celebrada em Tombos, todos os anos, no terceiro domingo de julho, Dia do Caminho da Luz, reconhecido através da Lei Estadual Nº 16.656/2007.
A coletiva tem como objetivo proporcionar uma maior integração do peregrino com a comunidade e vice-versa.
O Caminho da Luz, o Caminho do Brasil, é considerado Patrimônio Cultural de Minas Gerais pela Lei Nº 18.086/2009.
Na Mata do Banco, a AMART serviu o primeiro
lanche para os peregrinos da luz.
O Caminho da Luz marca de tal forma a vida dos peregrinos da luz que diversos peregrinos costumam retornar à coletiva para rever as pessoas, os lugares, as energias, as belezas naturais etc. entre eles nesta coletiva destacamos as presenças de: Lucimar Oliveira, Antônio Carlos Maiworm, Maurício Tavares e familiares, Vilmondes e Linete, José Roberto e Maria Rita, José Álvaro, Antônio Generoso, Salmo Delphino, Maria Bernadete, Patrícia Maris, Suely e
Jantar servido em Catuné.
Fernando   entre outros. Alguns deles como o Leonardo Rebello Deiró, Léo, já percorreram a coletiva oficial do Caminho da Luz por nove vezes. Léo garante: “enquanto eu tiver vida e saúde estarei aqui, pois esta é uma escola de fraternidade e de solidariedade e cada ano é diferente, o caminho sempre nos ensina algo novo”.
O Caminho da Luz, o Caminho do Brasil, tem início na base da cachoeira de Tombos e passa pelas
Belezas do Caminho da Luz.
comunidades, distritos e cidades de Catuné, Água Santa, Pedra Dourada, Faria Lemos, Carangola, Caiana, Espera Feliz, Quicé, Pedra Menina, Galileia, Bela Vista e Alto Caparaó e termina no Pico da Bandeira, sendo este opcional para o peregrino.
A taxa paga pelos peregrinos dá a eles os seguintes benefícios: ficha de inscrição; credencial; cajado de bambu; um guia impresso sobre o Caminho da Luz, o Caminho do
Seguindo as setas amarelas.
Brasil; uma camisa estilizada do Caminho; seguro contra acidentes pessoais, morte ou invalidez, no valor de R$ 3 mil (médico hospitalar) e R$ 30 mil (em caso de morte ou invalidez) que deverá ser recebido diretamente com a seguradora contratada (Eco Trip); café da manhã no dia 20 na base da cachoeira de Tombos; transporte de mochilas de um local ao outro de pernoite todos os dias em caminhão baú completamente
Albino Neves ao lado de Dona Francisca
um dos ícones do Caminho da Luz.
vedado; monitoramento de bicicleta durante todo o percurso (exceto dentro do Parque do Caparaó); pernoites coletivos nos dias 19 a 25/07; carro de apoio todos os dias; um lanche (servido pela AMART) por dia durante os sete dias; condutor ao longo do Caminho (para o acompanhamento dos últimos caminhantes); café da manhã e jantar em Catuné, Pedra Dourada, Faria Lemos, Carangola, Espera Feliz e Alto Caparaó; Certificado de Caminhante da Luz;
Peregrino da luz encontra a gente da terra.
condutor para subida ao Pico da Bandeira; Entrada no Parque Nacional do Caparaó; lanche na Comunidade da Galileia e para a subida ao Pico da Bandeira, transporte em ônibus alugado pela organização de Alto Caparaó a Carangola no dia 26 entre outros.
Na noite que antecedeu a subida ao Pico da Bandeira aconteceu uma Celebração na Igreja Nossa Senhora da Conceição, em Alto Caparaó onde os caminhantes
Peregrinos da luz emocionam com seus
depoimentos sobre a peregrinação.
Djalma Zottele Salvador (12), Selma Imaculada da Mata (57) e Elza Maria França de Oliveira (61), deram depoimentos pessoais que emocionaram a todos. Também aconteceu a cerimônia de lavagem das mãos a qual teve a participação dos Cavaleiros Templários do Gran Priorato Templário do Brasil – Cavalaria Espiritual São João Batista, Adaniel Barbosa, Aldo Luiz e Antônio Fernando e das Damas Templárias Cátia Santiago e Adriana Leão. A celebração e cerimônia emocionou não apenas aos peregrinos, mas também aos membros da comunidade.
Lanche na Comunidade da Galileia.
Além da AMART, a ABRALUZ contou com o apoio do Hotel Serpa (Tombos), de Tilay Vidigal, diretora da E.M. Emílio Soares, da diretora Marlene Miranda de Moraes e funcionárias da E.E. Antônia Martins de Barros, Dona Dulce Fulmian (Catuné), José Padrão (Pousada da D. Ana), Hélio de Azevedo (prefeito de Faria Lemos que cedeu o Centro Cultural José Carlos de Carvalho), Braz
Léo recebendo das mãos de Albino
Neves seu nono certificado da Luz.
Cosenza (Diretor da UEMG-Campos Carangola, Padre Santana, Andréia e Alvino (Seminário de Espera feliz), Airton (Hotel Pico da Bandeira), Bandeira (Brasinha Restaurante), Luciana Caon e Claret (Galileia), Elci (Restaurante Mineiro), Alanir e Valdir (Pousada Serra Azul), Maria Fátima Gomes de Oliveira (Superintendente Regional de Ensino - 5ª SRE), Rogéria Lima, Luciene Baptista (
5ª SRE), Comunidade Nossa Senhora da Conceição, Vitor Hugo (Rastro de Luz), Valtinho e Robson (apoio), Luiz Peixeiro (transporte 
Cerimônia da Lavagem das Mãos em
Alto Caparaó, na Igreja N.S. da Conceição.
de mochilas), Paulo Rodrigo, da diretora Maria Aparecida Rodrigues Valério e da servente Patrícia Moreira, da EE Coronel Vespúcio de Carvalho, da direção do Parque Nacional do Caparaó, dos Cavaleiros Templários Adaniel Barbosa, Aldo Luiz e Antônio Fernando e das Damas Templárias Cátia Santiago e Adriana Leão entre outros.
Segundo Albino Neves, presidente
Alojamento coletivo amizade e respeito.
da ABRALUZ a coletiva representa um grande momento de espiritualidade para os peregrinos e a região “são muitas pessoas vibrando e vivendo o amor, a fraternidade e a solidariedade juntas e isso representa a emanação de uma forte luz espiritual”.
As inscrições para a coletiva oficial de 2016 estarão abertas a partir do início do mês de março de 2016 e as vagas são limitadas anuncia a direção da ABRALUZ.
A seguir apresentamos algumas fotos de momentos da Coletiva Oficial de 2015.