domingo, 16 de fevereiro de 2014

ABRALUZ e Rastro de Luz mapeiam rota que tropeiros percorriam no Caminho da Luz


 
A Associação Brasileira dos Amigos do Caminho da Luz - ABRALUZ - através de seu Presidente, Albino Neves, esteve na semana passada, juntamente com Vitor Hugo Cosenza Neves, da Operadora de Turismo Rastro de Luz, cumprindo a última parte de reconhecimento, após levantamento histórico, do trajeto percorrido pelos tropeiros, no século passado, ao longo da rota de peregrinação do Caminho da Luz, o Caminho do Brasil.

A rota levantada pela ABRALUZ possibilitará àqueles que não dispõem de uma semana para percorrer o Caminho da Luz a pé, percorrê-lo em 5 dias, tendo em vista que, ao sair da base da cachoeira de Tombos, início do Caminho, a rota segue, em parte pela margem do rio Carangola, direto à Faria Lemos, cidade que, pela rota tradicional indígena, é o terceiro dia de pousada dos caminhantes que, antes de chegarem àquela cidade, pernoitam a primeira noite na comunidade do Catuné onde se encontra a gruta da Pedra Santa e a segunda em Pedra Dourada onde se encontra a pedra que deu nome à cidade.

A rota dos tropeiros tem cerca de 65% do trajeto arborizado, sendo que muitas dessas árvores são frutíferas, de frutas  tais como goiaba, manga, banana, limão, jamelão, ingá, pitanga e outras.

O levantamento histórico deu-se quando a ABRALUZ fazia um levantamento da rota da Cachaça de Minas que está em estudo para a prática de cicloturismo, tendo em vista que no trecho entre Tombos e Faria Lemos existem 2 alambiques.

Além da boa arborização, o trajeto conta também com algumas casas centenárias da época áurea do café, é rica em beleza cênica e é cortada, em alguns trechos, por pequenos riachos.

 
“Já há algum tempo, tínhamos sido informados sobre a passagem dos tropeiros por esta rota, no entanto era necessário fazer um levantamento histórico minucioso para que a mesma pudesse ser incluída como rota do Caminho da Luz, tendo em vista que o Caminho é dividido por 2 rotas; a que era percorrida pelos índios em direção à Montanha Sagrada do Brasil, o Pico da Bandeira, 3º mais alto do país e o primeiro mais alto acessível, onde iam em peregrinação para adoração do Deus Rudá. Já a 2ª rota era percorrida pelos tropeiros, pesquisadores e aventureiros na travessia dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo por Minas Gerais em direção ao Espírito Santo e  às minas de ouro de Minas Gerais” destacou Albino Neves demonstrando a importância de ambas as rotas na história da região e do Caminho da Luz.

Para o empresário Vitor Hugo a Rota dos Tropeiros é uma nova opção para aqueles que desejam peregrinar pelo Caminho da Luz e não dispõem de uma semana para fazê-lo a pé e nem de 4 dias para fazê-lo de bike ou a cavalo. “Com a descoberta, mapeamento e demarcação da nova rota será possível percorrer o caminho a pé em 5 dias, de bike em 2 a 3 dias e a cavalo de 3 a 4 dias”, anunciou Vitor Hugo, enfatizando “dessa forma abrimos novas opções para aqueles que desejam peregrinar pelo Caminho da Luz, o que, além de oferecer condições aos que não dispõem de tantos dias para fazê-lo, além de reforçar o incremento turístico regional”. Ao final Vitor Hugo agradeceu a dedicação da ABRALUZ e o cuidado histórico que teve em levantar a nova rota “visto que isso é um trabalho que demanda tempo e dedicação” enfatizou o empresário.

“Acreditamos que dentro dos próximos 15 dias a rota esteja devidamente demarcada, de forma que os que forem  utiliza-la  sejam bem orientados pela sinalização que será implementada pela ABRALUZ” anunciou Albino Neves, Presidente da entidade.
 

Vale a Pena se firma como destino turístico familiar


 
Em 2004 a família Miranda resolveu apostar no turismo familiar como uma nova fonte de renda para a mesma. Ao longo destes 10 anos muita coisa mudou e aquilo que era para ser uma alternativa tornou-se a principal fonte de renda da família.

Pousada, chalés, restaurante, balneário, o circuito cachoeiras Vale a Pena tornou-se um referencial do turismo na região.

Além do bom acolhimento da família de José Miranda, Adelina, Edimário, Enedina, Ana Paula, Rafael, Bethânia e Romário, outras seis pessoas participam  da família Vale a Pena. São elas Dona Marlene, Carolaine, Maria Helena, Alexandrina, Carlos e Helem (paulista). Desta forma as centenas de visitantes que buscam refúgio nas belas cachoeiras de água pura na encosta do Parque Nacional de Caparaó são bem recebidas e bem tratadas.

Fazem parte do circuito de cachoeiras do Vale a Pena, a cachoeira da Pedra Furada, Cachoeira do Moinho, Cachoeira das duas ilhas, Represa, cachoeira recanto da paz e cachoeira Recanto do Chiador, todas com fácil acesso, mas quem quer maior comodidade e segurança, a pousada conta também com dois condutores José do João Refe e Rafael.

O circuito Cachoeiras do Vale a pena conta com 4 chalés com tv e frigobar, uma casa com 4 quartos e 2 suítes, num total de 22 leitos. Edimário anunciou que em breve novas instalações estarão à disposição dos visitantes.

Centenas de pessoas procuram o Vale a Pena para passar um dia de lazer nos finais de semana e aproveitam para desfrutar da boa comida feita no fogão a lenha.

Além dos turistas da região, de Itaperuna (RJ) a Manhuaçu (MG) a Guaçuí - Espírito Santo, turistas de outros estados também buscam o circuito das Cachoeiras do Vale a Pena para lazer e repouso.

Edimário diz que um amigo informa para o outro e assim vai crescendo a rede de amigos do circuito das Cachoeiras do Vale a Pena. Quem quiser maiores informações pode entrar no site www.pousadavaleapena.com.br ou em contato direto com Edimário pelo celular (28) 99969-8082.

Grupos de amigos e empresas tem procurado agendar espaço no circuito das cachoeiras do Vale a Pena.

O grande diferencial do local pode ser constatado pelo bom acolhimento a todas as pessoas que frequentam a região das cachoeiras. A família Miranda demonstra, com carinho e amor com que recebem a todos, que o crescimento do empreendimento se dá através do respeito e da vontade de servir, visto que ali todos se tornam parte de uma grande família.

All Forno tem a marca de sucesso do Grupo Caparaó Parque Hotel


 
Inaugurada em Dezembro de 2013 a pizzaria e forneria All Forno Gourmet, sob o comando do Cheff Eliacir Fernandes e consultoria do mestre Pizzaiolo Luiz Inácio da Silva, o Lula, profissional várias vezes premiado pela revista Veja Minas, em poucos meses de funcionamento tornou-se um referencial gastronômico de Alto Caparaó.

O All Forno Gourmet faz parte do grupo Caparaó Parque Hotel, do qual, além do hotel fazem parte outros empreendimentos tais como o restaurante Estância Gourmet, a chocolateria e cafeteria Cacau Bandeira  e a loja de conveniência Trem da Terra.

O All Forno está localizado à frente do Caparaó Parque Hotel, construído em estilo retrô, tendo como cenário o Parque Nacional do Caparaó e o “rosto de Cristo”, montanhas que formam o rosto. O espaço é informal e aconchegante, oferece cardápio de pizzas tradicionais e gourmets, calzones, sanduíches de forno, foccácias, tira -gostos diferenciados acompanhados dos mais novos lançamentos do grupo o GriFi Gourmet Kids, suco de uva integral e vinho GriFi Gourmet merlot/cabernet. O local conta também com espaço kids e é próprio para o público jovem e infantil. O All Forno funciona de 2ª a 5ª de 18 às 22 horas e de 6ª a domingo das 18 às 23 horas.

Expedição Macieira e Catu pesquisa área do PNC


 
Os jovens Rodrigo Carrara, Paulo Erênio Rodrigues Filho, Viviane Simiquelli, Kevin Heitor e Rodolfo Grillo Ramos participaram em janeiro, de uma expedição, autorizada pela Direção do Parque Nacional do Caparaó, pelo Chefe substituto daquela Unidade de Conservação Luizmar Catheringer, iniciada na cachoeira dos 7 pilões e término na cachoeira do Tatu, área não autorizada para visitação.

Ao todo os 5 exploradores percorreram om trecho de 4.700 metros por entre matas, corredeiras, pedras, abismos e precipícios.

A aventura,  que teve um mix de exploração, medo e emoção teve a duração de 12 horas e 20 minutos e no trajeto foram descobertas 5 novas cachoeiras que passam, segundo Rodrigo, pelo processo de batismo. Uma delas recebeu o nome de Vale Perdido, face à inóspita localização geográfica e o difícil acesso, já uma outra recebeu o batismo de Cachoeira da Vivi, pelo fato de a cachoeira ser formada por duas quedas de água em forma de V, e como não poderia deixar de ser, também uma homenagem à única mulher presente na expedição chamar-se Viviane.

As outras 3 cachoeiras ainda não receberam o nome de batismo e o processo de escolha irá acontecer pelo Facebook, através de sugestões feitas pelos internautas, as quais serão repassadas depois para a Direção do Parque Caparaó.

A equipe da Secretaria de Meio Ambiente de Espera Feliz, feliz com o feito dos 5 aventureiros, parabenizou aos jovens pelo trabalho desenvolvido como desbravadores e fez um agradecimento especial à direção do Parque Nacional do Caparaó por possibilitar a exploração feita pelos jovens.

domingo, 14 de julho de 2013

O peregrino mais idoso do Brasil foi homenageado nos Passos de Anchieta



S. Virgílio quando falava sobre sua emoção 
em percorrer o Caminho da Luz, classificando 
o mesmo como o mais belo.
O mais idoso peregrino do Brasil, Virgilio da Silva Ribeiro, falecido aos 91 anos em 15 de maio do corrente ano, foi homenageado durante a realização da 16ª Edição dos Passos de Anchieta, ocorrida de 30 de maio a 2 de junho, saindo da Catedral de Vitória até Anchieta, evento que contou com a presença de Renato Casagrande, Governador do Espírito Santo, de Alexandre Passos, Secretário de Turismo, Lucas Izoton, ex-Presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo e um dos criadores dos Passos de Anchieta juntamente com o Jornalista Eustáquio Palhares e diversas outras autoridades e milhares de peregrinos de todo o Brasil.
Na ocasião, foi lido um texto intitulado "Eu sou os Passos do Senhor" escrito por ele em 23 de março de 2012 no qual escreveu, aos 90 anos, que diz o seguinte:

S. Virgílio saudando as montanhas de Minas Gerais.
 "Caminhar é a própria essência da minha liberdade espiritual e física e da minha livre imaginação.
Que o planeta possa ser envolvido em emanações de amor e respeito, voltando tudo ao seu lugar de origem, funcionando como um todo, em harmonia com o universo, transformando-se, gerando recursos naturais para o que foi criado, trazendo ao homem a sua sobrevivência e instruindo-o, porque o planeta precisa sobreviver.
Que a natureza cresça em seu curso normal, trazendo a beleza das cores e perfumes, gerando plantas e essências transformadoras, que nada seja destruído sem o propósito de um bem maior à humanidade.
Que as águas doces e salgadas abriguem suas vidas aquáticas e belas, trazendo ao homem alimento e preciosidades.
Que os animais livres em bandos corram por campos férteis e em bandos, seguindo o curso normal de procriação, estabelecendo o equilíbrio da natureza.
Que os pássaros voem em longos percursos migratórios e, no final, encontrem árvores floridas e perfumadas, onde farão seus ninhos. As fêmeas escolherão seus parceiros e a espera para a desova é uma consequência biológica. Que as novas floradas surjam em esplendor e beleza, que abriguem as novas aves e que sejam tão somente tocadas com amor.
Que os ventos refrescantes soprem em todas direções, levando sementes para todos os cantos, para que haja abundância e que não falte alimentação a todos os seres vivos, pois cada um cumprirá o seu dever.
Que o fogo aqueça as lareiras e os fogões e que só aconteça em cumprimento de uma ordem natural das necessidades.
Que o chão que eu piso seja úmido e fértil e que não nos falte nunca o alimento que dele provém.
Que eu esteja sempre consciente de tudo o que eu possa fazer para conservá-lo, porque Deus já o fez perfeito, e cabe a nós conservá-lo, conforme o seu desejo, em equilíbrio e harmonia.
Que eu, como fruto integrante desta natureza humana, me transforme no que devo ser, centelha Divina, ponto de luz no universo, irradiando amor incondicional a todas as coisas e seres deste planeta.
No exato momento em que nos dispomos a seguir em frente, sempre na mesma direção, ficamos à mercê de Deus e apenas lapidamos a realidade da própria imaginação".
Sr. Virgílio já havia percorrido os principais caminhos de peregrinação do Brasil e do mundo, sempre que lhe perguntavam qual era o mais belo caminho de peregrinação do Brasil ele não hesitava em dizer "O Caminho da Luz".

Região se prepara para receber peregrinos de vários Estados do Brasil


Na Pedra Santa, caminhantes reunidos em Oração.


A Associação Brasileira dos Amigos do Caminho da Luz - ABRALUZ - estará realizando  de 21 a 28 de julho a 14ª Edição da Caminhada Coletiva do Caminho da Luz, o Caminho do Brasil. Dezenas de peregrinos já estão inscritos para participarem da Coletiva Oficial, ente eles peregrinos de São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Piauí, entre outros.
A abertura do evento se dará com uma Missa que será celebrada na Igreja Nossa Senhora das Dores pelo Padre Elias de Souza Dorneles.

Na Fazenda Oliveira (1849) o peregrino 
Caco e outros caminhantes da Luz se 
encantam com o centenário cenário.
Na manhã do dia 22 os peregrinos partem da base da Cachoeira de Tombos passando por Catuné, Pedra Dourada, Faria Lemos, Carangola, Caiana, Espera Feliz, Galiléia (Caparaó) e Alto Caparaó até chegarem ao Parque Nacional do Caparaó e subirem o Pico da Bandeira.
Albino Neves, Presidente da ABRALUZ, destacou que a Caminhada Coletiva tem como objetivo a integração dos peregrinos com as comunidades locais e que o acolhimento das comunidades e autoridades locais é sempre uma demonstração do espírito de fraternidade que exala o Estado de Minas Gerais e aproveitou para fazer um agradecimento especial ao Prefeito Calica, de Tombos, de onde partem os peregrinos e a Thaís F. Rodrigues, Chefe do Parque Nacional do Caparaó, onde é concluída a peregrinação. E aproveitou também para  agradecer aos Prefeitos Eunice Soares (Pedra Dourada), Hélio Azevedo (Faria Lemos), Sebastião Heleno Zaniratti (Caiana), Carlinhos Cabral (Espera Feliz), Cristiano Xavier (Caparaó) e José Gomes (Alto Caparaó) e também ao Professor Braz Cosenza, Presidente da FAFILE/UEMG que ao longo do Caminho sempre se mostram solidários aos peregrinos.